Papai Noel, a criança, Jesus...e presentes: Feliz Natal!



Ele é velho, muito velho. Não imagino a sua idade, mas há muitos e muitos anos ele aparece (ou não!) distribuindo presentes para as crianças que crescem e geram outras crianças que também crescem.

Mas qual a representatividade deste idoso, destas crianças e destes presentes? E o que o nascimento de Jesus tem a ver com isso? Fiquei pensando.

Quando Jesus traz a redenção da humanidade, traz com isso o principio do amor incondicional ao próximo e ele diz em uma das passagens bíblicas: “Vinde a mim os pequeninos, porque deles é o reino dos céus.”

Então penso que a figura de Papai Noel é a representação desta energia de amor incondicional. Papai Noel é um velho – um velho sábio - que está no mundo, mas não se corrompe com ele. Ele aparece, dá seu recado e se recolhe. A criança recebe o presente, aprende que doando pode fazer alguém feliz. Elas são o principio, a construção de um novo mundo, são aprendizes, poderão desenvolver este gesto por toda a vida, perpetuando a ação de presentear para fazer alguém feliz, presentear por gratidão, por amor, não por convenção. Jesus é o inconsciente coletivo iluminando o único caminho que desejamos: a FELICIDADE. Ele aflora o conceito do amor pelo amor, sem distinção.

Entre simbolismos tão importantes para o desenvolvimento humano, pergunto: onde foi que tudo isso se perdeu? Onde foi que o presente de Natal ficou mais importante do que a expressão do amor ao doá-lo e da gratidão ao recebê-lo? Onde está o nosso velho sábio? Será que ele ainda não aprendeu com a vida? Será que não está enxergando o materialismo que nos rouba do amor? E a nossa criança? Ela está aprendendo a ser altruísta ou egoísta? Umas com tanto, outras sem nada. Nossa criança está grata ou mimada?

E afinal é Natal. Mesas fartas, excessivamente fartas, muitas com alimentos tão nocivos. Presentes suntuosos, muitos só pela formalidade de presentear. Famílias unidas, muitas com tantos sentimentos velados, truncados, tantas feridas.

Para todos vocês desejo um feliz dia 25. Que seja um dia comum, como qualquer outro. Que seja pleno de amor – como todos os outros -, que seja um dia de gratidão – como todos os outros -, que seja um dia de palavras e ações verdadeiras – como todos os outros.


Se Papai Noel não materializar seu presente ou de outrem, aproveite a chance! Talvez um presente interno seja o que sua criança esteja necessitando. No contexto atual talvez o melhor seja não presentear para que possamos ganhar outros valores mais ricos e consistentes, até podermos voltar a presentear estreitando nossos laços com a gratidão. Acredito que assim teremos um Natal feliz e poderemos confraternizar com as crianças, com os sábios e com toda a humanidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário