A Árvore da Vida - uma visão terapêutica.



Sem qualquer pretensão crítica, mas com olhar terapêutico, hoje assisti ao filme A Árvore da Vida e discorro um pouquinho sobre sua riqueza. Um dossiê de culpa, medo, apego, rigidez, cobrança, a ausência, a permissividade, a covardia, a manipulação, a crença, a dúvida e a completa dificuldade de demonstrar o amor. Tudo isso liquidificado com o que há de mais delicado na natureza: a origem de tudo, a vida. Alinhavar toda a informação que este filme carrega não é tarefa para uma só vez. Gostei, gostei muito mesmo. Uma reflexão e tanto sobre o que fazemos com a vida e com as CRENÇAS que carregamos. Há um momento do filme que o personagem diz (em pensamento): "Pai, mãe...vocês estão sempre em luta dentro de mim". Isso revela muito sobre todos os conteúdos que trazemos de nossa formação (ou deformação) com pai, mãe, que também têm pai e mãe, que também têm pai e mãe...e assim, vamos somando tantas crenças e formando tantas barreiras, e precisando da proteção de alguém de fora. É preciso voltar lá atrás, rever cada ponto que aprisionamos por não ousar vencê-los e recomeçar, tal qual a Árvore da Vida, buscando esse pai e essa mãe dentro de nós. É preciso que nos perdoemos para sermos capazes de cuidar das nossas ilusões acerca do outro e, aí sim, perdoá-lo plenamente.

Até a próxima, querido leitor!