FELIZ NATAL, DE VERDADE!


Mais um Natal e mais uma onda de pensamentos de PAZ E AMOR invade o mundo. É o momento de aproveitar essa energia coletiva e definir a nossa participação na construção desse sonho. O que podemos fazer como indivíduos para tornar esse mundo melhor, mais acolhedor, mais promissor para os nossos descendentes? É no olhar pra si que estão as respostas, é no olhar profundo que lançamos às nossas crenças e valores que encontraremos as ferramentas para nos transformar. E transformados nos apropriamos das nossas atitudes, não culpamos mais ninguém e não esperamos que ninguém nos salve! E desta forma poderemos sentir uma profunda paz interior, e o amor ao próximo aflora naturalmente, porque somos gratos a tudo e a todos. Isso é NATAL!
Um caloroso abraço para todos vocês, Pensadores!



QUAL O MELHOR CAMINHO A SEGUIR?

O tema é tão repetitivo quanto o nascer do sol e tão difícil quanto aquela questão da prova para a qual você não estudou. Trata-se da escolha, da decisão que deve ser tomada no momento em que você nem imagina qual direção seguir, mas é colocado diante do caminho e em apenas um segundo – esse é o tempo, tenho certeza – precisa escolher para que lado vai. No momento da escolha não é mais permitido não escolher. Não, não é. Parece o eclipse solar, vai acontecer naquele instante e você é o protagonista, sem chance de dublê. Mas deixando de lado o instante crucial, a única regra para se escolher é definindo quem você quer realmente ser e não a direção que vai tomar. Antes de tudo, se não sabe quem realmente é, como poderá direciona-se para algum lugar? A escolha é um fator externo para tensionar fatores internos, e estes indicam duas direções pessoais e intrasferíveis quanto à responsabilidade: a pessoa que você foi até o momento de encarar a escolha e a pessoa que você poderá vir a ser após fazer a escolha. É preciso definir. É a vida mostrando que abandonar antigas crenças e abrir-se para o novo é a opção. É o chamado para a sua evolução.

Falta de iniciativa, culpa, incapacidade de mostrar autoridade, fragilidade emocional, excesso de subserviência, medo de lidar com questões adversas, dificuldade de dizer não, inabilidade em impor limites e tudo aquilo que o prende a um personagem que não lhe cabe mais fatalmente serão divisores do caminho, numa tentativa de mantê-lo preso ao passado ou conduzi-lo ao futuro de forma consciente, com autonomia e sendo verdadeiro consigo mesmo. Observe-se, eu recomendo. Não há outra forma de saber quais as armadilhas que você mesmo criou para não assumir a escolha desejada. Quando mente para você mesmo, será infeliz mais uma vez, é só uma questão de tempo, tempo esse que passa, e não volta mais. Definir o caminho é mais do que uma opção de escolha, é a possibilidade de enfrentar o novo de forma aprofundada, deixando as velhas crenças onde devem ficar,  juntamente com a superficialidade da vida.







"TOXINAS DA CASA E DA VIDA"


Olá, querido leitor, como está passando? Recebi essa mensagem por e-mail e trouxe para compartilhar com vocês. Não só porque seu conteúdo é incrível, mas também porque acredito no que está escrito. Tudo na nossa vida é energia, logo tem que existir movimento para fluir. Boa faxina para vocês!

"NÃO HÁ PROSPERIDADE SE HOUVER INTOXICAÇÃO”.Já ouviu falar em toxinas da casa? 

Pois são:- objetos que você não usa,- roupas que você não gosta ou não usa a um ano,- coisas feias,- coisas quebradas, lascadas ou rachadas,- velhas cartas, bilhetes,- plantas mortas ou doentes,-- recibos/jornais/revistas, antigos- remédios vencidos,- meias velhas furadas,- sapatos estragados...


O que está fora está dentro e isso afeta a saúde física e mentalO 'destralhamento' é a forma mais rápida de transformar a vida e ajudar outras eventuais terapias.


Com o destralhamento:- A saúde melhora;- A criatividade cresce;- Os relacionamentos se aprimoram... É comum se sentir cansado, deprimido, desanimado, em um ambiente cheio de entulho, pois "existem fios invisíveis que nos ligam a tudo aquilo que possuímos". 

Outros possíveis efeitos do “acúmulo e da bagunça":- se sentir desorganizado; fracassado; limitado; aumento de peso; apegado ao passado...- No porão e no sótão, as tralhas viram sobrecarga; - Na entrada, restringem o fluxo da vida;- Empilhadas no chão, nos puxam para baixo; - Acima de nós, são dores de cabeça;- Sob a cama, poluem o sono.- Oito horas para trabalhar; oito horas para descansar; oito horas para se cuidar.

Perguntinhas úteis na hora de destralhar:- Por que estou guardando isso?- Será que tem a ver comigo hoje?- O que vou sentir ao liberar isto?...

E vá fazendo pilhas separadas..- Para doar!- Para jogar fora!.

Para destralhar mais:- livre-se de barulhos,- das luzes fortes,- das cores berrantes,- dos odores químicos,- dos revestimentos sintéticos... 

E também...- libere mágoas,- pare de fumar,- diminua o uso da carne,- termine projetos inacabados.

"Acumular nos dá a sensação de permanência, apesar da vida ser impermanente", diz a sabedoria oriental. 

O Ocidente resiste a essa ideia e assim perde contato com o sagrado instante presente. "As frutas nascem azedas e no pé vão ficando docinhas com o tempo"... 

A gente deveria de ser assim."Destralhar ajuda a adocicar."

(infelizmente desconheço a autoria)


A Árvore da Vida - uma visão terapêutica.



Sem qualquer pretensão crítica, mas com olhar terapêutico, hoje assisti ao filme A Árvore da Vida e discorro um pouquinho sobre sua riqueza. Um dossiê de culpa, medo, apego, rigidez, cobrança, a ausência, a permissividade, a covardia, a manipulação, a crença, a dúvida e a completa dificuldade de demonstrar o amor. Tudo isso liquidificado com o que há de mais delicado na natureza: a origem de tudo, a vida. Alinhavar toda a informação que este filme carrega não é tarefa para uma só vez. Gostei, gostei muito mesmo. Uma reflexão e tanto sobre o que fazemos com a vida e com as CRENÇAS que carregamos. Há um momento do filme que o personagem diz (em pensamento): "Pai, mãe...vocês estão sempre em luta dentro de mim". Isso revela muito sobre todos os conteúdos que trazemos de nossa formação (ou deformação) com pai, mãe, que também têm pai e mãe, que também têm pai e mãe...e assim, vamos somando tantas crenças e formando tantas barreiras, e precisando da proteção de alguém de fora. É preciso voltar lá atrás, rever cada ponto que aprisionamos por não ousar vencê-los e recomeçar, tal qual a Árvore da Vida, buscando esse pai e essa mãe dentro de nós. É preciso que nos perdoemos para sermos capazes de cuidar das nossas ilusões acerca do outro e, aí sim, perdoá-lo plenamente.

Até a próxima, querido leitor!



SOBRE O TEMPO


Tempo, sagrado tempo que carrega chaves de pesadas caixas entupidas de conteúdos.
Tempo, lento tempo que carrega a saudade que não se desfaz.
Tempo, corrido tempo que carrega momentos que não se repetem, que não param de se repetir, que se esvaem, que marcam, que passam.
Tempo, bondoso tempo que dura uma eternidade no instante de um alento.
Tempo, raivoso tempo que separa vidas em movimento.
Tempo, senhor tempo, vagando aflito, na exaustão do sempre, marcando épocas, deixando rastros, seguindo em frente.
Tempo, te chamam de passado, de presente, de futuro...te chamam de volta ou te pedem para ir. E num silêncio absoluto, sem dar ouvidos, segue tua sina.
Tempo, quanto desse teu mistério ainda resta em mim?


Como anda o seu guerreiro?

Descanse, guerreiro, seus dias de luta estão encerrados. Sei que foi arrastado por grandes marés, e quase se perdeu de si, mas manteve os olhos abertos, até na escuridão. Seu corpo cansado não desistiu e resistiu. Muitas vezes achou que não conseguiria prosseguir, mas juntou forças e continuou. Atravessou fronteiras, desertos, matas e encontrou água quando tinha sede e alimento quando tinha fome. Fez suas próprias armas e abrigo para pernoitar. Passou a ver e ouvir com impressionante clareza. Sim, seus sentidos se aguçaram nesta luta, guerreiro. Encontrou o medo, a raiva, a descrença e também a esperança e a fé nos dias mais desesperadores e fez as pazes com eles, com todos eles e também com você. E agora que retornou percebo seu rosto mais sereno, embora cansado. Está mais doce, apesar de tudo. Agora deixe para trás o que passou, fique com o que trouxe de novo desta experiência. Todos nós passamos por essa travessia, mas como saímos dela, guerreiro, é decisão de cada um. Descanse.


IV WORKSHOP DE REEDUCAÇÃO ALIMENTAR E EMOCIONAL - MAIO DE 2012


Se reduzir as calorias fosse tudo, ser saudável seria um trabalho matemático e nada mais.

Denise de Oliveira Clínica Nutricional e Arteterapia convida:

IV Workshop de Reeducação Alimentar e Emocional


Local: Praça Saens Peña – ao lado do metrô

Início: 12/05/2012.
08 encontros quinzenais aos sábados (04 meses)
Das 10:00 às 13:00h

Investimento: R$ 120,00/mês
Maiores informações: pensesaude@gmail.com

Te espero lá!