Nutrindo o Encerramento de um Ciclo.




Quando nascemos somos recebidos com alegria e festa, mas quando fazemos o encerramento do nosso ciclo, se despedem de nós com dor e sofrimento, com apego a essa efêmera passagem neste mundo material. Tanto nossa chegada quanto nossa partida deveriam ser comemoradas, desde que nossa permanência aqui  tenha sido próspera de amor. Se fizemos pessoas felizes, vamos comemorar a despedida! A gratidão que, por nós, deixamos aqui, carimbada no coração das pessoas, certamente é um passaporte para nossa viagem. Desapegar-se das frivolidades é um processo de grande amadurecimento espiritual. É difícil porque nós só enxergamos com os olhos materiais, somos egoístas. Desprender-se das limitações desta vida, poder ir e voltar em “recipientes” diferentes pode ser uma grande aventura no caminho do crescimento e da iluminação. Pode ser divertido! A dificuldade está em aceitar esse desligamento temporário. A eternidade não pertence ao corpo, mas sim ao espírito. O dia que nos apropriarmos disso, certamente ganharemos a nossa carta de alforria da limitação materialista. Renascer é preciso.
Até a próxima, querido leitor!